Maternidade Brasília: minhas impressões

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

Meu pupilinho nasceu na Maternidade Brasília – também conhecida como Hospital Maternidade ou Hospital Brasília – no dia 31 de maio de 2017. Optei por essa maternidade porque fica próximo à minha casa (moro no Guará). Cheguei a agendar uma visita à maternidade, mas acabei chegando atrasada. Eles são bem rigorosos com o início do tour. Daí, deu preguicinha de ligar e agendar novamente, e resolvi ir na cara e na coragem mesmo (vi alguns relatos e indicações dessa maternidade no Google, além disso era o local indicado por minha GO).

Meu relato de parto

Comecei a sentir contrações na madrugada do dia 30 de maio. Não consegui dormir. À tarde, as contrações aumentaram e eu resolvi ir à maternidade, né?! Vai que era o dia. Mas, não era. Segundo a médica plantonista que me atendeu: eu tava em trabalho de parto, mas poderia demorar dias e dias, já que ainda não tinha nenhuma dilatação.

Voltei pra casa e passei mais uma madrugada em claro. Toda vez que eu conseguia cochilar, a contração vinha com força total. E gente: quanta dor. Às 16h do dia 31, resolvi ir ao Hospital mais uma vez. As contrações estavam mais rápidas e insuportáveis. Para minha alegria e angústia: estava com 5cm de dilatação e fui encaminhada para a internação.

Desci para o Centro Cirúrgico às 20h. Já estava com 9cm de dilatação. A médica teve que estourar minha bolsa e me deu oxitocina (por pedido meu), assim eu poderia ter o parto normal, como me preparei durante toda a gestação. Mas, o baby tinha outro plano…rs. Ele não desceu. E, após mais de 2h de sente contração, faz força e mais força, optei pela alteração do plano de parto e pedi (implorei) pela cesárea. De início, a doutora e meu esposo foram contra. Eu sabia de todas as complicações de um parto cesáreo. Mas, já tinha chegado ao meu limite. E, mesmo com todo o incômodo do pós-operatório, não me arrependo da minha decisão. Enquanto preparavam a sala para o parto cesáreo, parei de sentir contrações.

Assim, mudamos de sala (porque os partos normal e cesáreo são feitos em salas cirúrgicas diferentes). E, em questão de 3 minutos, lá estava eu sendo mãe, no sentido mais real e assustador da coisa. Às 23h03min, nasceu meu filhote e, a partir daí, não fomos separados um só minuto. Como ele “demorou a nascer”, não me mostraram ou me entregaram ele logo que foi tirado da barriga. Mas, ele ficou na sala comigo o tempo todo, assim como na salinha de recuperação também.

Ele nasceu às 23h03min do dia 31 e recebemos alta no dia 02/06, na hora do almoço.

É importante saber:

  • o hospital sugere uma lista de coisas a serem levadas em sua mala maternidade e na do bebê. Como o site deles estava em manutenção (desde o terceiro mês de gestação até o nascimento do meu baby), liguei lá e eles me enviaram a lista por email.
  • O hospital oferece apenas fraldas tamanho P. Meu baby nasceu pequenininho, com 2500kg e 46cm. Mas, não achei as fraldas grandes. São da marca Cremer e eu acabei adotando essa marca depois. (Mas, em casa, meu pequeno usou fraldas RN durante o primeiro mês).
  • O banho no bebê só é dado no dia seguinte ao nascimento. Geralmente, às 7h/8h da manhã.
  • Após o parto, toda a equipe do hospital me acolheu de uma forma linda. Todos os funcionários foram bastante atenciosos e solícitos.
  • Lá, ganhamos uma sacola com alguns mimos para o baby: sabonete líquido, lenço umedecido, amaciante, sabão líquido, sabão em pó… foi bem bacana e bastante útil.
  • O horário de visitas é das 15h as 20h. Mas, os avós têm o direito de ficar até as 22h. Bacana, né?!
  • Embora eles digam que oferecem produtos de higiene também às mamães, é bom você levar seus próprios produtos. Eles dão uma bolsinha (imagem abaixo) com alguns mini produtos. E é só isso. Não dão mais, caso esses acabem. Logo, não dá pra passar 2 ou 3 dias só com eles. O meu tá inteiro porque usei os que eu tinha levado.

No kit vem: shampoo, condicionador, pente, lixa de unha, escova e pasta de dente, touca para cabelo, sabonete e 4 cotonetes. Tudo mini.

Me entregaram o kit na salinha que fiquei antes do parto. Quando fui para a sala de parto, esqueci de levar o kit..ficou lá no banheiro.
Depois do parto, já no quarto, fui tomar banho e não tinha levado sabonete. Pedi outro kit e fui informada de que é só 1 kit por pessoa. Como eu já tinha pego o meu, eles não me dariam outro. Imagine se, durante meu trabalho de parto, eu lembraria de levar o danado do kit comigo…rs. Mas, encontrei uma enfermeira gente boa que me deu outro kit, sem problema.

Ainda com dúvidas sobre a maternidade? Acesse o site ou deixe sua pergunta nos comentários.

Você também vai gostar de

5 comentários sobre “Maternidade Brasília: minhas impressões

  1. Vanessa disse:

    Adorei o seu relato, pois também quero tentar o parto normal na emergencia da Maternidade Brasília. Não quero pagar uma fortuna para fazer com o médico que me acompanha no pré-natal. Pode informar o nome da Dra plantonista que fez seu parto? Outra dúvida: só pode 01 acompanhante na hora do parto?

    • Ana Kylza Ana Kylza disse:

      Olá, Vanessa!!
      A plantonista que me atendeu foi a doutora Isabella Naves. Apesar de aparentar ser bem novinha, ela me passou bastante confiança, além de me explicar direitinho cada procedimento.
      Na hora do parto só pode 1acompanhante. No meu caso, foi meu esposo. Mas, minha sogra ficou com a gente na salinha da pré-internação (esqueci o nome que eles dão) até a hora que desci pro parto mesmo. Foi bom pq ela me ajudava qdo vinham as temidas contrações….rs. Ficamos nessa salinha das 16h às 20h…qdo já tava com 9cm de dilatação. E o bom é que eles nos alimentaram nesse tempo (lá não tem essa de passar fome no trabalho de parto..#oremos,rs)…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *